Cerrado – Plantas do Sudoeste do Brazil

Evolvulus pterygophyllus

planta

O Domínio dos Cerrados ocupa cerca de 2 milhões de km2, ou 22% do território nacional, o solo é antigo, profundo e bem drenado. Nutricionalmente é ácido e de baixa fertilidade, com altos níveis de ferro e alumínio. O clima é estacional, com duas estações bem definidas: seca e úmida. A precipitação média anual é de 1500mm, com grandes variações intra-regionais (WWF & PRÓ-CER 1995). Os maiores problemas enfrentados pelo cerrado são a expansão agropecuária, as queimadas periódicas, e a invasão de espécies exóticas.

A listagem de espécies, aqui apresentada, é resultante do levantamento de Leitão Filho (1992). Espécies não arbóreas e informações referentes ao porte, ambiente em que ocorrem e fenologia das espécies foram acrescentadas a partir do levantamento florístico da Estação Ecológica de Assis, SP. Esta área constitui-se em um dos últimos remanescentes do ecossistema original que recobria a região oeste do Estado de São Paulo. A vegetação da Estação Ecológica enquadra-se no tipo cerradão (cerrado lato sensu), estando na zona limítrofe sul do grande Domínio dos Cerrados do Brasil.

Este levantamento, realizado pela Dra. Giselda Durigan, pesquisadora da Estação Ecológica de Assis, assim como as imagens fotográficas, foram produzidos com apoio do Projeto JICA/IF, de Recuperação de Florestas e do Meio Ambiente (Japan International Cooperation Agency/Instituto Florestal/Secretaria do Meio Ambiente). Os táxons apresentados tiveram seus nomes corrigidos pelo pesquisador Geraldo Antonio Daher Correa Franco – Divisão de Dasonomia – Instituto Florestal.

Todas as referências bibliográficas utilizadas neste levantamento, assim como, outras relacionadas com o tema, também estão disponíveis.

A Dra Giselda Durigan também é autora de um levantamento sobre Espécies Arbóreas e Arbustivas de Mata Ciliar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *